BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates

Ator que interpretava Dr. Spock também era um talentoso fotógrafo

Em meados dos anos 1970, Leonard Nimoy, intérprete do Dr. Spock em Jornada nas estrelas, estudou fotografia na UCLA e começou a considerar seriamente a fotografia como uma alternativa à sua carreira de ator.

E em 2003, ele renunciou formalmente à atuação para dar focar-se em ser um fotógrafo em tempo integral.

Embora ele tenha participado de diversos comerciais, incluindo alguns ao lado de William Shatner para o Priceline.com.
Por toda a sua vida, Leonard Nimoy lapidava seus talentos com diversos projetos fotográficos e revelava seu olho afiado para a beleza natural.

Primeiros Trabalhos (Década de 1970 e antes)

Esses primeiros trabalhos formam a base de sua prolífica carreira como artista. Eles mostram seu talento natural para conectar os alvos de suas fotografias com sua cuidadosa atenção cuidadosa à forma e composição.

Primeiros Trabalhos (Década de 1970 e antes)

Esses primeiros trabalhos formam a base de sua prolífica carreira como artista. Eles mostram seu talento natural para conectar os alvos de suas fotografias com sua cuidadosa atenção cuidadosa à forma e composição.

Primeiros Trabalhos (Década de 1970 e antes)

Esses primeiros trabalhos formam a base de sua prolífica carreira como artista. Eles mostram seu talento natural para conectar os alvos de suas fotografias com sua cuidadosa atenção cuidadosa à forma e composição.

Primeiros Trabalhos (Década de 1970 e antes)

Esses primeiros trabalhos formam a base de sua prolífica carreira como artista. Eles mostram seu talento natural para conectar os alvos de suas fotografias com sua cuidadosa atenção cuidadosa à forma e composição.

Primeiros Trabalhos (Década de 1970 e antes)

Esses primeiros trabalhos formam a base de sua prolífica carreira como artista. Eles mostram seu talento natural para conectar os alvos de suas fotografias com sua cuidadosa atenção cuidadosa à forma e composição.

 

Série Mão (década de 1980 ao início da década de 2000)

Enquanto Dr. Spock se tornou conhecido por sua saudação vulcaniana característica, Leonard Nimoy também se tornou fascinado pela forma natural das mãos. Ele revisitou este tema mais de uma vez durante sua carreira como artista.

Série Mão (década de 1980 ao início da década de 2000)

Enquanto Dr. Spock se tornou conhecido por sua saudação vulcaniana característica, Leonard Nimoy também se tornou fascinado pela forma natural das mãos. Ele revisitou este tema mais de uma vez durante sua carreira como artista.

Série Mão (década de 1980 ao início da década de 2000)

Enquanto Dr. Spock se tornou conhecido por sua saudação vulcaniana característica, Leonard Nimoy também se tornou fascinado pela forma natural das mãos. Ele revisitou este tema mais de uma vez durante sua carreira como artista.

Série Mão (década de 1980 ao início da década de 2000)

Enquanto Dr. Spock se tornou conhecido por sua saudação vulcaniana característica, Leonard Nimoy também se tornou fascinado pela forma natural das mãos. Ele revisitou este tema mais de uma vez durante sua carreira como artista.

Série Mão (década de 1980 ao início da década de 2000)

Enquanto Dr. Spock se tornou conhecido por sua saudação vulcaniana característica, Leonard Nimoy também se tornou fascinado pela forma natural das mãos. Ele revisitou este tema mais de uma vez durante sua carreira como artista.

 

Preto e Branco (década de 1990 a década de 2000)

Para sua série Preto e Branco, Nimoy experimentava com retratos de estúdio e continuava com seu fascínio pela forma feminina.

Preto e Branco (década de 1990 a década de 2000)

Para sua série Preto e Branco, Nimoy experimentava com retratos de estúdio e continuava com seu fascínio pela forma feminina.

Preto e Branco (década de 1990 a década de 2000)

Para sua série Preto e Branco, Nimoy experimentava com retratos de estúdio e continuava com seu fascínio pela forma feminina.

Preto e Branco (década de 1990 a década de 2000)

Para sua série Preto e Branco, Nimoy experimentava com retratos de estúdio e continuava com seu fascínio pela forma feminina.

Preto e Branco (década de 1990 a década de 2000)

Para sua série Preto e Branco, Nimoy experimentava com retratos de estúdio e continuava com seu fascínio pela forma feminina.

 

Contato Visual (década de 1980 ao início dos anos 2000)

Contato Visual mistura aspectos da obra anterior de Nimoy, mas remove a contemplação visual dos seus alvos e, em vez disso, foca exclusivamente na beleza natural da forma feminina.

Contato Visual (década de 1980 ao início dos anos 2000)

Contato Visual mistura aspectos da obra anterior de Nimoy, mas remove a contemplação visual dos seus alvos e, em vez disso, foca exclusivamente na beleza natural da forma feminina.

Contato Visual (década de 1980 ao início dos anos 2000)

Contato Visual mistura aspectos da obra anterior de Nimoy, mas remove a contemplação visual dos seus alvos e, em vez disso, foca exclusivamente na beleza natural da forma feminina.

Contato Visual (década de 1980 ao início dos anos 2000)

Contato Visual mistura aspectos da obra anterior de Nimoy, mas remove a contemplação visual dos seus alvos e, em vez disso, foca exclusivamente na beleza natural da forma feminina.

 

Shekhina (2002)

Para Shekhina, Nimoy usou o estúdio para representar visualmente a presença divina de Deus como uma mulher. Ele foi imensamente influenciado por sua criação como filho de imigrantes judeus.

Leonard escreveu:

Me primeiro encontro com o mistério e o poder da Shekhina aconteceu quando menino, talvez com oito ou nove anos de idade, ao lado do meu pai, avô e irmão, para a tradicional bênção do serviço judeu ortodoxo.

Shekhina (2002)

Para Shekhina, Nimoy usou o estúdio para representar visualmente a presença divina de Deus como uma mulher. Ele foi imensamente influenciado por sua criação como filho de imigrantes judeus.

Leonard escreveu:

Me primeiro encontro com o mistério e o poder da Shekhina aconteceu quando menino, talvez com oito ou nove anos de idade, ao lado do meu pai, avô e irmão, para a tradicional bênção do serviço judeu ortodoxo.

Shekhina (2002)

Para Shekhina, Nimoy usou o estúdio para representar visualmente a presença divina de Deus como uma mulher. Ele foi imensamente influenciado por sua criação como filho de imigrantes judeus.

Leonard escreveu:

Me primeiro encontro com o mistério e o poder da Shekhina aconteceu quando menino, talvez com oito ou nove anos de idade, ao lado do meu pai, avô e irmão, para a tradicional bênção do serviço judeu ortodoxo.

Shekhina (2002)

Para Shekhina, Nimoy usou o estúdio para representar visualmente a presença divina de Deus como uma mulher. Ele foi imensamente influenciado por sua criação como filho de imigrantes judeus.

Leonard escreveu:

Me primeiro encontro com o mistério e o poder da Shekhina aconteceu quando menino, talvez com oito ou nove anos de idade, ao lado do meu pai, avô e irmão, para a tradicional bênção do serviço judeu ortodoxo.

Shekhina (2002)

Para Shekhina, Nimoy usou o estúdio para representar visualmente a presença divina de Deus como uma mulher. Ele foi imensamente influenciado por sua criação como filho de imigrantes judeus.

Leonard escreveu:

Me primeiro encontro com o mistério e o poder da Shekhina aconteceu quando menino, talvez com oito ou nove anos de idade, ao lado do meu pai, avô e irmão, para a tradicional bênção do serviço judeu ortodoxo.

 

Corpo Inteiro (2007)

Em Corpo Inteiro, Nimoy fotografou membros de um grupo burlesco chamado The Fat-Bottom Revue. Suas fotos, mais uma vez, visitou a forma feminina e provou que a beleza natural vem em todas as formas e tamanhos.

Corpo Inteiro (2007)

Em Corpo Inteiro, Nimoy fotografou membros de um grupo burlesco chamado The Fat-Bottom Revue. Suas fotos, mais uma vez, visitou a forma feminina e provou que a beleza natural vem em todas as formas e tamanhos.

Corpo Inteiro (2007)

Em Corpo Inteiro, Nimoy fotografou membros de um grupo burlesco chamado The Fat-Bottom Revue. Suas fotos, mais uma vez, visitou a forma feminina e provou que a beleza natural vem em todas as formas e tamanhos.

Corpo Inteiro (2007)

Em Corpo Inteiro, Nimoy fotografou membros de um grupo burlesco chamado The Fat-Bottom Revue. Suas fotos, mais uma vez, visitou a forma feminina e provou que a beleza natural vem em todas as formas e tamanhos.

Corpo Inteiro (2007)

Em Corpo Inteiro, Nimoy fotografou membros de um grupo burlesco chamado The Fat-Bottom Revue. Suas fotos, mais uma vez, visitou a forma feminina e provou que a beleza natural vem em todas as formas e tamanhos.

Corpo Inteiro (2007)

Em Corpo Inteiro, Nimoy fotografou membros de um grupo burlesco chamado The Fat-Bottom Revue. Suas fotos, mais uma vez, visitou a forma feminina e provou que a beleza natural vem em todas as formas e tamanhos.

 

Eus Secretos (2010)

Para Eus Secretos, Nimoy encontrou inspiração na mitologia grega. Aristófanes acreditava que os humanos foram, no passado, criaturas de dois lados, com duas cabeças. Então Zeus dividiu o homem em dois e o deixou para sempre procurando por seu todo. Esta série retrata os lados criativos e, às vezes, estranho dos alvos das suas fotografias, a parte de nós que tentamos esconder dos outros.

Eus Secretos (2010)

Para Eus Secretos, Nimoy encontrou inspiração na mitologia grega. Aristófanes acreditava que os humanos foram, no passado, criaturas de dois lados, com duas cabeças. Então Zeus dividiu o homem em dois e o deixou para sempre procurando por seu todo. Esta série retrata os lados criativos e, às vezes, estranho dos alvos das suas fotografias, a parte de nós que tentamos esconder dos outros.

Eus Secretos (2010)

Para Eus Secretos, Nimoy encontrou inspiração na mitologia grega. Aristófanes acreditava que os humanos foram, no passado, criaturas de dois lados, com duas cabeças. Então Zeus dividiu o homem em dois e o deixou para sempre procurando por seu todo. Esta série retrata os lados criativos e, às vezes, estranho dos alvos das suas fotografias, a parte de nós que tentamos esconder dos outros.

Eus Secretos (2010)

Para Eus Secretos, Nimoy encontrou inspiração na mitologia grega. Aristófanes acreditava que os humanos foram, no passado, criaturas de dois lados, com duas cabeças. Então Zeus dividiu o homem em dois e o deixou para sempre procurando por seu todo. Esta série retrata os lados criativos e, às vezes, estranho dos alvos das suas fotografias, a parte de nós que tentamos esconder dos outros.

Eus Secretos (2010)

Para Eus Secretos, Nimoy encontrou inspiração na mitologia grega. Aristófanes acreditava que os humanos foram, no passado, criaturas de dois lados, com duas cabeças. Então Zeus dividiu o homem em dois e o deixou para sempre procurando por seu todo. Esta série retrata os lados criativos e, às vezes, estranho dos alvos das suas fotografias, a parte de nós que tentamos esconder dos outros.

 

Fonte: BuzzFeed

Confira também

Pornceptual: coletivo usa arte para fazer ‘pornografia cult’

A arte pode ser mais excitante do que a pornografia tradicional? Essa é a aposta ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *