BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates

Mostra no instituto Tomie Ohtake traz seleção da arte brasileira atual

Juntos, o suíço Hans Ulrich Obrist e o islandês Gunnar Kvaran devem ter acumulado mais milhas do que alguns pilotos de avião. Na última década, mapearam a cena artística de China, EUA e Índia. Agora chegou a vez do Brasil.

Nomes influentes da arte –Obrist é diretor da Serpentine, em Londres, e Kvaran já comandou a Bienal de Lyon–, eles organizam a exposição “Imagine Brazil”, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.

A mostra, que estreou há dois anos no museu Astrup Fearnley, em Oslo, tem a ambição de trazer o mais sofisticado da arte brasileira atual e suas raízes: cada artista emergente escolheu a obra de um consagrado para fazer par com seu trabalho.

Surgiram duplas como Adriano Costa e Tunga, Gustavo Speridião e Carlos Zilio, Paulo Nazareth e J. Borges, Sara Ramo e Cildo Meireles. E há parcerias mais inusitadas, como Jonathas de Andrade e o músico Caetano Veloso.

Os nomes são queridinhos no cenário global, tendo já participado de bienais e recebido uma calorosa acolhida da crítica internacional. “Eles são exemplos de artistas globais que construíram obras ancoradas na realidade local”, diz Obrist. “Mas não pensamos em mercado. Não é uma lista de best-sellers.”

Mas parece. Quase metade dos artistas é representada por Fortes Vilaça e Mendes Wood DM, duas das galerias mais poderosas do país. São escolhas fáceis, sem risco de decepcionar os que veem o Brasil como a bola da vez.

Questões de mercado à parte, parece haver uma predileção por artistas que privilegiam estratégias conceituais sem descartar a beleza.
É o caso de Adriano Costa, que transforma farrapos como panos de chão em instalações de apelo cromático, e Rodrigo Cass, com vídeos em que explora a violência inerente aos objetos, como facas que atravessam um saco plástico.

“Eles atingem resultados ao mesmo tempo poéticos e visuais, usam uma linguagem universal para tratar de singularidades”, diz Kvaran.

IMAGINE BRAZIL
quando: de ter. a dom., das 11h às 20h; até 3/5
onde: Instituto Tomie Ohtake, r. Coropés, 88, tel. (11) 2245-1900
quanto: grátis
Classificação livre

Fonte: Folha Ilustrada/Folha de S. Paulo

Confira também

Artistas fazem escultura hiper-realista de anjo caído

Os artistas chineses Sun Yuan e Peng Yu criaram uma escultura hiper-realista que está chamando atenção ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *